sábado, 28 de fevereiro de 2009

amistad

saudávelmente arrumo. limpo. os baús da minha alma.

há peças que já não faz sentido serem guardadas.
seguem o seu destino… 
dão lugar a outras. 
ainda que essas se vão acomodando com alguma estranheza.
com alguma inconvencionalidade.
marcando algum território num acto de descoberta. 
de re-conhecimento?

tudo o resto que lá permanece foi o que resistiu.
com quem se tem uma relação kármica.
um carinho especial.
um cheiro que se reconhece quando se revê.
 
nesses momentos de arrumação percebes 
que se não formos preconceituosos (e falo para a minha alma)
se podem criar registos belos. 
e doces.
aqueles que em momentos da solidão. de insatisfação de não saber de quê.
te podem fazer sorrir com alguma felicidade.

ainda que momentâneos
talvez resida nisso mesmo o grande encanto de abraçar as almas gémeas
do nosso baú…









 
 

1 comentário:

Arte e Criação disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.